Educação a favor da inclusão

"Levantei voo alto e sou grata à minha base: Claretiano"

Glaucia começou Pedagogia sem imaginar onde estaria hoje. Conheça a história de uma mulher que busca, diariamente, melhorar a vida de outras pessoas com a educação inclusiva.

Ingressei em Pedagogia em 2010 e sempre soube que queria ser professor. Brincar de "escolinha" era minha brincadeira favorita e, mesmo tendo quase desistido de estudar, por conta de dinheiro, tudo deu certo e ingressei no Claretiano.

Entre os muitos desafios que enfrentei estava o de saber que não bastava ter um diploma para ser professora, mas muita dedicação, principalmente para passar em concursos, conseguir um bom trabalho, mas consegui com muito esforço e dedicação.

Durante minha graduação eu já trabalhava na educação infantil como monitora nessa época, por isso, o meu período de estágio foi bem tranquilo nessa etapa da educação básica. Para o ensino fundamental foi bem diferente, eu fiquei um pouco preocupada em não gostar, tinha decidido que não gostaria de trabalhar no ensino fundamental, porém durante o estágio eu fiz a tão temida "regência", dei aula para o primeiro ano e recebi muitos elogios da professora titular da sala.

Eu não conseguia pensar em outra coisa: eu estava apaixonada por lecionar no ensino fundamental e tinha muita vontade de trabalhar com alfabetização, embora não me sentisse tão segura ainda. O estágio foi importante porque por meio dele eu soube das demais atribuições em uma unidade de ensino: pude observar a gestão escolar.

Depois de me formar, em 2014, fiquei preocupada sobre ingressar no mercado de trabalho, mas acabei passando em um concurso pouco antes de colar grau e consegui agilizar os trâmites para ser efetivada. Minha colocação foi quase instantânea.

Depois de me formar, aconteceu outra coisa muito legal. A partir das minhas pesquisas e trabalho com alunos surdos, área em que me especializei (Libras: Prática Tradução/Intérprete) também, algumas editoras me convidaram para publicar meus trabalhos acadêmicos em formato de livro. Este livro, Caminhos para inclusão escolar de alunos surdos, foi lançado em março, no auditório do Claretiano - Centro Universitário de Rio Claro.

Atualmente, sou professora da Rede Pública Municipal e de cursos multifuncionais especializados. Atendo crianças com diversos tipos de deficiência, além de crianças surdas. Busco o Mestrado em Educação Especial e meu objetivo é atingir o máximo de pessoas possível, ouvintes ou surdos, para que a LIBRAS seja essencial na comunicação, escolar e social.

Aproveito para desejar que alunos e futuros alunos aproveitem ao máximo a estação Claretiano na viagem da vida de vocês. Para mim, essa estação está guardada com carinho, assim como os professores que me acolheram. Levantei voo alto e sou grata à minha base: Claretiano. Obrigada por tudo! Coração chegou doer ao se lembrar desse início. Jamais pensei chegar onde estou!

Gratidão!

Conheça também outras histórias de nossos ex-alunos

Conheça todas as histórias