Por amor a Geografia

"Nos altos dos meus 80 anos a única certeza que tenho é que a vida é curta. Logo eu que já vivi muito, vejo que vivi foi muito pouco"

Vicente sempre gostou e se deu bem na discliplina e aos 80 anos decidiu ingressar no Claretiano

“Nos altos dos meus 80 anos a única certeza que tenho é que a vida é curta. Logo eu que já vivi muito, vejo que vivi foi muito pouco”.

A frase acima é apenas um dos trechos citados pelo recém aluno do polo Claretiano de Araçatuba Vicente Marcolino Rosa, que, aos 80 anos de idade, se matriculou no curso de Geografia, sua grande paixão desde a infância: “sempre tive boas notas nessa matéria quando criança”, relembra ele.

Tendo dedicado 25 anos de sua vida à profissão de bancário, senhor Vicente traz ainda em seu currículo experiências como agricultor, comerciante, microempresário e, também, a denominação que menos combina com ele: a de aposentado.

Sempre ativo e envolvido em alguma atividade, Vicente acha que não ficar parado é o segredo para se viver melhor: “Na minha idade, não me sinto no direito de fazer planos para o futuro, por isso aproveito o presente, escrevo sonetos, poesias, até prêmio na Academia Araçatubense de Letras eu já recebi”, declara orgulhoso.

Mas o reconhecimento de seu talento literário não é o único motivo de orgulho. Senhor Vicente conta entusiasmado que possui em sua estante uma coleção de livros da National Geographic: “São 25 exemplares!”, diz ele. É a paixão pela Geografia falando alto mais uma vez.

Felizmente, com a evolução da internet e das novas tecnologias, a Geografia agora é uma realidade quase diária do novo aluno de Araçatuba. O curso do Claretiano – Centro Universitário trouxe seu Vicente mais uma vez ao cenário acadêmico – ele cursou dois anos de Direito aos 71 anos, mas não chegou a concluir o curso – e, dessa vez, se Deus permitir, para se graduar.

Sempre otimista, nem o fato de ter iniciado seu curso com algumas semanas de atraso deixou o novo claretiano desanimado: “Comecei o curso com um pouco de atraso, já com atividades a fazer, então o que já era um desafio, se tornou um desafio ainda maior, mas a vontade é grande e estou sendo bem acompanhado pelos tutores”.

Conheça também outras histórias de nossos ex-alunos

Conheça todas as histórias