O sonho do futebol

"Sempre soube que o futebol me proporcionaria grandes alegrias."

Um sonho de criança, se não vira realidade, vira impulso para outras conquistas. Assim aconteceu com Raphael de Souza Peixoto, que sonhava em ser jogador de futebol e hoje trabalha como preparador físico de um time. Abaixo, Raphael dá seu depoimento sobre seus estudos, seu trabalho e seus planos para o futuro:

Minha história não foi diferente da história de todos os brasileiros que nascem com o sonho de ser atleta de futebol. Vivia jogando futebol desde que me lembro, mas nunca tive oportunidade de jogar profissionalmente, então quando cheguei aos 17 anos, e chegou a hora de escolher uma profissão, decidi cursar Educação Física. Durante o curso, e também depois de formado, trabalhei com vários esportes: natação, academia, grupo de corrida, ginástica na terceira idade, recreação e futebol, do qual decidi me aproximar ainda mais, pois, além de ser minha paixão antiga, meu sonho de criança, eu sabia, de alguma maneira, que o futebol me proporcionaria grandes alegrias.

Cursei Educação Física no Claretiano – Centro Universitário de onde me lembro dos amigos, dos professores e das experiências em atividades sociais.  Me lembro de um projeto chamado CEUSOL, com o qual viajei para Mato Grosso e Rondônia. Como voluntário, também estive em Paranatinga, Santo Antônio do Leste e na tribo Xingu. Sinto falta de todos dessa época.

Hoje sou Preparador Físico. Já passei por times como Botafogo, Comercial (de Ribeirão Preto), Internacional de Bebedouro, Flamengo de Guarulhos e Apucarana Sport Clube. No exterior, passei pela YMCA College of Physical Education, na Índia, onde permaneci por 7 meses, demonstrando o que fazemos e desenvolvemos no Brasil na área do futebol. Desde dezembro de 2016, atuo no Batatais Futebol Clube, time da cidade onde me formei, e no qual venho trabalhando o controle físico e motor dos atletas, desenvolvendo, do ponto ideal, as capacidades físicas dos jogadores, em busca de potencializar os pontos fortes de cada um.

Enquanto trabalho, meu plano é seguir estudando, me atualizando e evoluindo. Pode ser que um dia a oportunidade de estar em uma grande equipe nacional apareça e eu vou estar preparado. Quem sabe um clube no exterior.

Conheça também outras histórias de nossos ex-alunos

Conheça todas as histórias