Gratidão e dedicação

"Uma palavra resume minha vida e levo como mantra diário: gratidão!"

Amanda cursou Terapia Ocupacional no Centro Universitário e se especializou em Saúde Mental na USP Ribeirão Preto. Confira a história completa aqui:

Minha trajetória no Claretiano teve início em fevereiro de 2012. 

Confesso que, no início, fiquei insegura sobre o curso escolhido, Terapia Ocupacional, mas em pouco tempo tive a confirmação de que era a minha profissão, na qual eu me encaixava.

É bom sentir a nostalgia dos meus passos no Claretiano, passos de luta e vitória, choro e sorrisos, confiança, aprendizado, respeito, amadurecimento, enfim, tudo o que vivi como graduanda de um lugar que me abriu portas e me acolheu.

Sou grata aos meus mestres, Rose, daniel Carleto, Daniel Dahdah, Camila, Aline… Que foram e são inspirações para meu sucesso. Cada um em sua área, em sua essência, me fizeram entender o que é ser uma terapeuta ocupacional.

Ao finalizar a graduação, busquei mais aprendizado sobre saúde mental e, através de informativos do Claretiano, soube que haveria um processo seletivo para o Aprimoramento Profissional ofertado pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, a USP, onde fiz a prova, a entrevista e entreguei meu currículo. Fui aprovada e ressalto que foi crescente o amadurecimento profissional e pessoal que tive durante o curso de Aprimoramento Profissional de Terapia Ocupacional em Saúde Mental. 

Muitas experiências ricas e valiosas, que serviram de extensão da minha graduação. Novos professores - Valquíria, Elke, Adriana e Eliana -, que me proporcionaram referência e aprendizado, novos colegas, e o real contato com a saúde mental.

Finalizando meu aprimoramento, fui convidada pela coordenadora do curso de Terapia Ocupacional do Claretiano, professora Camila, para apresentar minha monografia de encerramento aos alunos do curso. Me senti novamente acolhida pela casa. 

Por fim, agradeço infinitamente a minha família, por me apoiarem e nunca permitirem que eu desistisse. 

De todo o meu coração, obrigada pelas oportunidades, estágios, estudos e caminho tomado. Hoje atuo com muita dedicação e coração aberto às escolhas que fiz e apenas uma palavra resume minha caminhada e a levo como mantra diário, gratidão!

"Ser Terapeuta Ocupacional é acreditar que todas as pessoas são capazes, independente da sua condição. É olhar o ser humano como alguém que se constrói e se transforma por sua ação significativa, consciente, em um contexto social, histórico e cultural. Ser terapeuta ocupacional é estudar profundamente a ação humana nos diversos momentos da vida e desenvolver estratégias para que cada pessoa possa tomar posse do seu fazer, a partir de seus desejos, expectativas e necessidades.” (Celina Bartallotti)

Conheça também outras histórias de nossos ex-alunos

Conheça todas as histórias